Rio Grande do Sul

  • Homem é condenado a mais de 36 anos de prisão pela morte de menina de 7 anos em Caxias do Sul
    on 3 de dezembro de 2020 at 01:14

    Juliano Vieira Pimentel de Souza foi julgado pelo tribunal do júri nesta quarta (2) e sentenciado a 36 anos, seis meses e 20 dias em regime inicial fechado. Ele era réu pelo estupro, assassinato e ocultação do cadáver de Naiara Soares Gomes, morta em 2018. G1 tenta contato com a defesa. Naiara foi encontrada morta em Caxias do Sul em 21 de março de 2017 Reprodução/RBSTV Juliano Vieira Pimentel de Souza, de 34 anos, foi condenado nesta quarta-feira (2) a 36 anos, seis meses e 20 dias de prisão em regime inicial fechado. Ele foi sentenciado a reclusão pelo estupro, assassinato e ocultação do cadáver de Naiara Soares Gomes, de 7 anos, em Caxias do Sul, na Serra, em 2018. O G1 tentou contato telefônico com a defesa de Juliano, mas, até a publicação desta reportagem, não obteve retorno. A pena é resultado da combinação das condenações em 23 anos, seis meses e 20 dias de reclusão pelo homicídio, de 12 anos pelo estupro e de um ano por ocultação de cadáver. O réu seguirá preso na penitenciária de Canoas, onde já estava detido. O julgamento presidido pelo juiz Silvio Viezzer foi realizado no Salão do Júri da Comarca de Caxias do Sul sem a presença do público e da imprensa, já que o processo envolvia uma menor de idade e tramitou em segredo de justiça. A sessão durou mais de 12h e terminou por volta das 19h30. Pela manhã, foram ouvidas quatro testemunhas de acusação. O réu seria interrogado em seguida, mas preferiu permanecer em silêncio. Durante a tarde, os debates orais ficaram a cargo do promotor João Francisco Ckless Filho, do assistente de acusação Matheus Bertaiolli Rodrigues e dos advogados de defesa. Logo após, os sete jurados se reuniram para votação. Todos os protocolos de prevenção foram observados, como distanciamento, uso de máscaras e de álcool em gel. Apenas os envolvidos na sessão puderam ter acesso ao local. Relembre o caso Naiara Soares Gomes foi considerada desaparecida após ir para a escola, no bairro São Caetano, em 9 de março de 2018. Imagens de câmeras de segurança mostravam a menina andando sozinha pelas ruas. No dia 21, o corpo de Naiara foi encontrado pela polícia às margens da Barragem do Faxinal, no interior de Caxias do Sul. No mesmo dia, um homem foi preso suspeito pelo crime, e confessou ser o autor. Laudos periciais confirmaram que Naiara morreu por asfixia, e que foi estuprada antes de morrer. A Polícia Civil indiciou o homem por estupro de vulnerável com morte e ocultação de cadáver. Além disso, ele também foi condenado por outro crime, contra outra menina, que sobreviveu ao ataque. O caso gerou revolta na população de Caxias do Sul. A casa onde o homem morava, e onde ocorreram os estupros, foi demolida. Julgamento da morte de Naiara Soares Gomes acontece em Caxias do Sul nesta quarta (2) Veja os destaques do Bom Dia Rio Grande:

  • Prefeitura de Porto Alegre amplia horário do comércio e reduz de serviços de alimentação
    on 3 de dezembro de 2020 at 00:38

    Decreto adequa regras municipais às determinações do governo do estado. Para auxiliar fiscalização em parques e praças, prefeitura irá pedir apoio para a Brigada Militar. Decreto ordena que bares e restaurantes recuem o horário máximo de funcionamento para as 22h Luciano Lanes / PMPA Novo decreto da Prefeitura de Porto Alegre, publicado nesta quarta-feira (2), determina que o horário de funcionamento das lojas e shoppings seja ampliado das 19h para as 20h. Além disso, também ordena que serviços de alimentação, como bares e restaurantes, recuem o horário máximo de funcionamento da meia-noite para as 22h. O que muda na bandeira vermelha no RS com novo decreto As medidas adequam o município às novas regras publicadas pelo governo do estado para municípios com bandeira vermelha, caso da Capital. Segundo a prefeitura, o município “concorda com o momento epidemiológico da decisão, mas está atento às possibilidades de flexibilizações dessa medida pela repercussão econômica negativa no setor”. A cidade também seguirá a regra sobre proibição de permanência nos mais de 600 parques e praças, autorizadas somente para prática de esportes, mas a prefeitura diz que há “dificuldades práticas” , e por isso, solicitará que a fiscalização fique sob responsabilidade de Brigada Militar. Veja os destaques do RBS Notícias: Initial plugin text

  • Polícia prende duas pessoas por latrocínio de taxista em Bagé
    on 2 de dezembro de 2020 at 21:22

    Executor do crime e motorista foram presos. Segundo delegado, ao ser questionado por que teria matado Silvanio Camponogara Fontana, de 50 anos, com um tiro no rosto, o preso disse: “porque eu quis”. Silvanio Camponogara Fontana, 50 anos Arquivo pessoal A Polícia Civil prendeu preventivamente, na madrugada desta quarta-feira (2), dois suspeitos do roubo seguido de morte do taxista Silvanio Camponogara Fontana, de 50 anos. Ele foi morto por um tiro no rosto, no último dia 24 de novembro, em Bagé, na Região da Campanha do RS. Um dos presos é o autor do disparo, que confessou o crime e, questionado sobre por que matou Fontana, respondeu: “porque eu quis”, conforme a Polícia Civil. O segundo preso é o motorista, que levou o suspeito de Dom Pedrito até Bagé, na noite do crime. Um terceiro homem participou do latrocínio, e não foi encontrado ainda. A polícia apura a participação de mais pessoas. As investigações apontaram que, ao chegarem em Bagé, os suspeitos procuraram um táxi, e foram atendidos pela vítima. A escolha do taxista teria sido aleatória. Pediram uma corrida até uma casa noturna da cidade, e ao chegarem próximo ao local, em uma rua lateral, a vítima foi rendida com uma arma e colocada no banco traseiro do veículo. Um dos criminosos assumiu o volante e dali saíram em direção a Dom Pedrito. Quando chegaram na divisa entre os municípios de Bagé e Dom Pedrito, passando o Rio Santa Maria, o motorista parou o carro e deu um tiro no rosto da vítima. O corpo foi deixado no local. Os suspeitos levaram o carro e pertences pessoais do taxista. Já em Dom Pedrito, os suspeitos clonaram as placas. Algumas roupas da vítima e as placas originais foram queimadas em um matagal. Suspeitos mataram taxista e fugiram com carro dele, em Bagé. Placas foram clonadas Divulgação/Polícia Civil Local onde foi encontrado o corpo de Silvanio Camponogara Fontana, 50 anos Bagé 24 horas VÍDEOS: RBS Notícias

  • RS se aproxima de 7 mil mortes por Covid-19 e média móvel de óbitos volta a subir
    on 2 de dezembro de 2020 at 20:46

    Secretaria Estadual da Saúde registrou, nesta quarta (2), mais 74 mortes e quase 5 mil novos infectados. Total de casos chega a 331,2 mil, e taxa de ocupação das UTIs permanece acima de 80%. O Rio Grande do Sul se aproxima de 7 mil óbitos de Covid-19. Com 74 novas mortes registradas nesta quarta-feira (2), o estado chega a 6.973 óbitos, ocorridos entre 19 de novembro e 2 de dezembro — exceto três, que aconteceram entre setembro e outubro, e só foram notificados agora. A atualização teve ainda a exclusão de um óbito após identificação de erro na ficha de notificação: uma mulher de 93 anos divulgada sexta-feira (27). A média móvel de mortes voltou a subir. Houve um aumento de 17% nos óbitos em relação à média móvel diária de duas semanas atrás. Também foram registrados mais 4.999 infectados, o que eleva para 331.279 casos confirmados desde o começo da pandemia. Do total, 305.085 (92,1%) estão recuperados e 19.178 (5,8%) segue em acompanhamento. A taxa de letalidade é de 2,1%. Já a taxa de ocupação dos leitos de UTI dos hospitais gaúchos segue alta: era de 81,2% às 16h07. Deste percentual, 46,5% era de pacientes com Covid-19 ou suspeita de síndrome respiratória aguda grave. O RS já realizou 1,188 milhão de testes. No Brasil, o total de mortes está próximo a 174 mil e o número de infectados é de 6,39 milhões, segundo o consórcio de veículos de imprensa. Boletim da SES-RS de 02/12 Reprodução/Twitter Mortes Alvorada (mulher, 69 anos) Alvorada (mulher, 77 anos) Arroio do Sal (mulher, 72 anos) Arroio dos Ratos (homem, 71 anos) Arroio Grande (homem, 58 anos) Boa Vista do Buricá (mulher, 73 anos) Cachoeira do Sul (homem, 75 anos) Canoas (homem, 54 anos) Canoas (homem, 72 anos) Canoas (homem, 76 anos) Canoas (mulher, 63 anos) Canoas (homem, 86 anos) Canoas (homem, 60 anos) Canoas (mulher, 93 anos) Capão da Canoa (homem, 48 anos) Capão da Canoa (mulher, 60 anos) Capão do Leão (mulher, 94 anos) Carazinho (mulher, 67 anos) Cerro Largo (homem, 55 anos) Eldorado do Sul (mulher, 63 anos) Encantado (mulher, 68 anos) Glorinha (homem, 67 anos) Gravataí (homem, 65 anos) Igrejinha (homem, 77 anos) Igrejinha (homem, 55 anos) Itaqui (mulher, 66 anos) Ivoti (homem, 67 anos) Minas do Leão (mulher, 89 anos) Montenegro (mulher, 85 anos) Mostardas (mulher, 74 anos) Nova Pádua (mulher, 62 anos) Nova Prata (mulher, 76 anos) Novo Hamburgo (mulher, 71 anos) Novo Hamburgo (mulher, 74 anos) Novo Hamburgo (homem, 77 anos) Novo Hamburgo (homem, 58 anos) Osório (homem, 80 anos) Passo Fundo (mulher, 70 anos) Pelotas (mulher, 73 anos) Pinheiro Machado (mulher, 75 anos) Porto Alegre (homem, 42 anos) Porto Alegre (homem, 38 anos) Porto Alegre (mulher, 68 anos) Porto Alegre (homem, 85 anos) Porto Alegre (homem, 85 anos) Porto Alegre (mulher, 82 anos) Porto Alegre (homem, 51 anos) Porto Alegre (mulher, 81 anos) Porto Alegre (homem, 81 anos) Porto Alegre (homem, 82 anos) Porto Alegre (mulher, 85 anos) Porto Alegre (homem, 67 anos) Porto Alegre (mulher, 46 anos) Porto Alegre (mulher, 77 anos) Santa Bárbara do Sul (homem, 78 anos) Santa Bárbara do Sul (mulher, 50 anos) Santa Maria (mulher, 81 anos) Santa Maria (mulher, 84 anos) Santo Ângelo (homem, 83 anos) Santo Ângelo (mulher, 83 anos) Santo Ângelo (homem, 54 anos) Santo Ângelo (homem, 85 anos) São Gabriel (homem, 84 anos) São José das Missões (homem, 72 anos) São José do Norte (homem, 40 anos) São José dos Ausentes (mulher, 75 anos) São Leopoldo (mulher, 66 anos) São Leopoldo (homem, 65 anos) São Leopoldo (homem, 36 anos) São Marcos (mulher, 65 anos) São Pedro do Sul (mulher, 91 anos) Sertão Santana (homem, 60 anos) Uruguaiana (mulher, 84 anos) Uruguaiana (homem, 66 anos) Casos Aceguá – 1 Água Santa – 4 Agudo – 1 Ajuricaba – 1 Alegrete – 73 Alegria – 1 Almirante Tamandaré do Sul – 2 Alto Alegre – 1 Alvorada – 54 Anta Gorda – 7 Antônio Prado – 8 Aratiba – 1 Arroio do Meio – 20 Arroio do Sal – 6 Arroio do Tigre – 6 Arroio dos Ratos – 2 Augusto Pestana – 1 Áurea – 1 Bagé – 48 Balneário Pinhal – 1 Barão – 2 Barão de Cotegipe – 8 Barão do Triunfo – 4 Barracão – 3 Barros Cassal – 12 Bento Gonçalves – 29 Boa Vista do Buricá – 10 Boa Vista do Incra – 3 Bom Jesus – 9 Bom Princípio – 1 Bom Retiro do Sul – 3 Bossoroca – 5 Butiá – 11 Caçapava do Sul – 3 Cachoeira do Sul – 29 Cachoeirinha – 16 Cacique Doble – 2 Caiçara – 5 Camaquã – 22 Campestre da Serra – 2 Campina das Missões – 1 Campinas do Sul – 7 Campo Bom – 127 Campos Borges – 2 Candelária – 15 Cândido Godói – 2 Canela – 24 Canguçu – 1 Canoas – 76 Capão Bonito do Sul – 1 Capão da Canoa – 46 Capão do Cipó – 1 Capão do Leão – 1 Capela de Santana – 2 Capitão – 7 Capivari do Sul – 2 Caraá – 6 Carazinho – 15 Carlos Barbosa – 29 Casca – 14 Caseiros – 2 Catuípe – 2 Caxias do Sul – 241 Cerrito – 9 Cerro Largo – 6 Chapada – 7 Charqueadas – 9 Charrua – 2 Chuí – 1 Cidreira – 2 Ciríaco – 18 Condor – 2 Constantina – 8 Coqueiros do Sul – 2 Coronel Barros – 4 Coronel Bicaco – 3 Cotiporã – 5 Coxilha – 2 Cristal – 1 Cruz Alta – 24 Cruzaltense – 2 Cruzeiro do Sul – 6 Dois Irmãos – 16 Dois Irmãos das Missões – 1 Dois Lajeados – 1 Dom Pedrito – 2 Eldorado do Sul – 21 Encantado – 11 Encruzilhada do Sul – 9 Entre-Ijuís – 19 Erebango – 4 Erechim – 118 Ernestina – 2 Erval Seco – 3 Esperança do Sul – 1 Estação – 29 Estância Velha – 13 Esteio – 25 Estrela – 2 Estrela Velha – 1 Farroupilha – 37 Feliz – 14 Flores da Cunha – 11 Forquetinha – 1 Frederico Westphalen – 41 Garibaldi – 37 Gaurama – 2 Getúlio Vargas – 28 Giruá – 15 Glorinha – 4 Gramado – 102 Gramado dos Loureiros – 1 Gravataí – 102 Guaíba – 113 Guaporé – 10 Herveiras – 1 Horizontina – 19 Hulha Negra – 2 Ibiaçá – 8 Ibiraiaras – 1 Ibirapuitã – 1 Ibirubá – 5 Igrejinha – 21 Ijuí – 19 Imbé – 18 Imigrante – 1 Independência – 8 Ipê – 10 Ipiranga do Sul – 1 Iraí – 2 Itaara – 4 Itapuca – 1 Itaqui – 4 Itatiba do Sul – 1 Ivoti – 17 Jacutinga – 2 Jaguarão – 3 Jaguari – 19 Jaquirana – 5 Júlio de Castilhos – 1 Lagoa dos Três Cantos – 3 Lagoa Vermelha – 45 Lagoão – 3 Lajeado – 65 Lavras do Sul – 2 Lindolfo Collor – 2 Machadinho – 7 Manoel Viana – 4 Maquiné – 1 Maratá – 6 Marau – 27 Marcelino Ramos – 2 Mariano Moro – 1 Mato Castelhano – 2 Maximiliano de Almeida – 2 Montauri – 1 Monte Alegre dos Campos – 1 Montenegro – 15 Mormaço – 2 Morro Redondo – 10 Morro Reuter – 1 Muitos Capões – 8 Muliterno – 1 Não-Me-Toque – 9 Nonoai – 3 Nova Alvorada – 13 Nova Boa Vista – 17 Nova Bréscia – 1 Nova Candelária – 4 Nova Hartz – 8 Nova Pádua – 3 Nova Petrópolis – 9 Nova Prata – 31 Novo Barreiro – 4 Novo Hamburgo – 135 Osório – 86 Paim Filho – 1 Palmares do Sul – 1 Panambi – 40 Pantano Grande – 4 Paraí – 2 Pareci Novo – 1 Parobé – 22 Passo do Sobrado – 7 Passo Fundo – 116 Paulo Bento – 1 Paverama – 2 Pedro Osório – 3 Pejuçara – 4 Pelotas – 27 Picada Café – 3 Pinhal da Serra – 3 Pinheiro Machado – 4 Piratini – 1 Planalto – 5 Pontão – 2 Ponte Preta – 1 Porto Alegre – 468 Porto Lucena – 1 Porto Xavier – 8 Presidente Lucena – 4 Quaraí – 13 Quatro Irmãos – 1 Quinze de Novembro – 1 Redentora – 39 Restinga Seca – 2 Rio Grande – 91 Rio Pardo – 11 Roca Sales – 1 Rodeio Bonito – 1 Rolante – 15 Ronda Alta – 23 Rondinha – 1 Rosário do Sul – 67 Sagrada Família – 2 Saldanha Marinho – 1 Salto do Jacuí – 1 Sananduva – 20 Santa Bárbara do Sul – 2 Santa Cecília do Sul – 12 Santa Cruz do Sul – 89 Santa Maria – 80 Santa Maria do Herval – 5 Santa Rosa – 53 Santa Vitória do Palmar – 20 Santana do Livramento – 16 Santiago – 18 Santo Ângelo – 66 Santo Antônio da Patrulha – 20 Santo Antônio das Missões – 3 Santo Antônio do Palma – 2 Santo Augusto – 1 Santo Cristo – 2 São Borja – 14 São Domingos do Sul – 4 São Gabriel – 12 São João da Urtiga – 37 São José do Hortêncio – 2 São José do Norte – 2 São José do Ouro – 4 São José dos Ausentes – 6 São Leopoldo – 164 São Lourenço do Sul – 17 São Luiz Gonzaga – 5 São Marcos – 24 São Martinho – 13 São Paulo das Missões – 3 São Pedro do Butiá – 14 São Pedro do Sul – 1 São Sebastião do Caí – 29 São Sepé – 2 São Valentim – 3 São Valentim do Sul – 2 Sapiranga – 3 Sapucaia do Sul – 23 Sarandi – 15 Seberi – 6 Segredo – 2 Senador Salgado Filho – 2 Sentinela do Sul – 2 Serafina Corrêa – 3 Sertão – 10 Sete de Setembro – 2 Sinimbu – 1 Sobradinho – 8 Soledade – 17 Tabaí – 2 Tapejara – 22 Tapera – 41 Tapes – 8 Taquara – 56 Taquari – 40 Tavares – 1 Tenente Portela – 16 Teutônia – 13 Tio Hugo – 3 Toropi – 2 Torres – 17 Três Arroios – 5 Três Coroas – 15 Três de Maio – 13 Três Forquilhas – 6 Três Palmeiras – 2 Três Passos – 9 Trindade do Sul – 10 Triunfo – 8 Tucunduva – 2 Tupanci do Sul – 1 Tupandi – 2 Tuparendi – 11 Ubiretama – 1 Unistalda – 1 Uruguaiana – 46 Vacaria – 17 Vale do Sol – 1 Vale Real – 1 Vale Verde – 1 Venâncio Aires – 33 Vera Cruz – 18 Veranópolis – 5 Viamão – 9 Vicente Dutra – 3 Vila Flores – 5 Vila Lângaro – 19 Vila Maria – 5 Vitória das Missões – 1 Westfália – 7 A atualização teve ainda 145 casos excluídos por duplicidade ou revisão de resultado. Veja os destaques do RBS Notícias: Initial plugin text

  • Caso João Alberto: Após quase 40 depoimentos, polícia ainda tenta desvendar motivação do crime
    on 2 de dezembro de 2020 at 19:18

    Investigação também aguarda laudos do Instituto Geral de Perícias, que não devem ficar prontos antes de sexta-feira (4). João Alberto Freitas, 40 anos, foi espancado e morto no estacionamento do supermercado Carrefour no dia 19 de novembro. Polícia aguarda laudo de morte de João Alberto para decidir indiciamento A Polícia Civil terminou na terça-feira (1º) a fase de depoimentos de testemunhas do caso João Alberto. O homem foi espancado e morto por dois seguranças do supermercado Carrefour no último dia 19. Ainda estão sendo analisadas imagens de câmeras de segurança do local onde ocorreu o crime para tentar descobrir a motivação. Com isso, a polícia pretende determinar se houve crime racial. “Nós buscamos aqui é identificar a motivação do crime, se é racial ou não. Isto está enquadrado dentro do homicídio”, diz a delegada Vanessa Pitrez. De acordo com a polícia, 39 pessoas foram ouvidas, entre clientes, funcionários do mercado e da empresa de segurança Vector. Além dos três presos, os dois seguranças e a agente de fiscalização Adriana Alves Dutra, a delegada responsável Roberta Bertoldo acredita que mais pessoas devem ser responsabilizadas pelo crime, inclusive respondendo como coautoras. A investigação trabalha na elaboração do relatório para concluir o inquérito policial. A conclusão ainda depende dos laudos periciais. Conforme o Instituto Geral de Perícias (IGP), eles não devem ser entregues antes de sexta-feira (4). “Analisaremos a partir de agora todas as figuras típicas que podem ser objeto de indiciamento. Precisamos adequar condutas aos verbos dos crimes. Esta é uma tarefa bem técnica”, destaca a delegada Roberta. Comissão externa da Câmara dos Deputados se reúne com família e com governo do RS sobre caso João Beto Segurança preso diz que não houve discussão antes das agressões em supermercado Cliente relata que seguranças ficaram ‘desorientados’ ao perceber que João Alberto não respirava O que já sabemos sobre o caso João Alberto Mais imagens analisadas A polícia está analisando mais imagens de câmeras de segurança do supermercado Carrefour, inclusive em dias anteriores ao crime. “Tivemos a inquirição de inúmeras pessoas. Testemunhas de parte da empresa, tanto de pessoas que tiveram no local na data e em outras datas. E que referiram que a vítima era alguém que, por vezes, costumava causar algumas intercorrências no mercado, importunando algumas pessoas que lá estavam”, diz. A polícia não detalhou quais teriam sido os comportamento de João Alberto, apenas relatou “abordagem” e “perturbação a clientes”. Relembre o caso Homem morre após ser espancado na porta de supermercado em Porto Alegre João Alberto foi espancado e morto por dois homens brancos em um supermercado Carrefour em Porto Alegre, na noite desta quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra. O espancamento de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi filmado por testemunhas (veja vídeo acima; as imagens são fortes). Os dois suspeitos tiveram prisão preventiva decretada. O policial militar Giovani Gaspar da Silva, de 24 anos, foi levado para um presídio militar. Magno Braz Borges, de 30 anos, segurança da loja, está em um prédio da Polícia Civil. A investigação trata o crime como homicídio qualificado. De acordo com a polícia, João Alberto foi levado da área de caixas para a entrada da loja e teria iniciado a briga após dar um soco no PM. Na sequência, ele foi surrado. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) tentou reanimar o homem depois que ele foi espancado, mas ele morreu no local. Ainda não se sabe qual foi a causa da morte, mas uma análise preliminar da perícia indica que pode ter sido asfixia. Initial plugin text

  • Médico brasileiro se prepara para vacinação contra Covid-19 no Reino Unido: ‘sinal de que está chegando’
    on 2 de dezembro de 2020 at 18:55

    Cardiologista de hospital do sistema público inglês recebeu aviso de que equipe receberá vacinação e trabalhará para imunizar a população. Ainda não há data definida. Vacina da Pfizer contra Covid usa tecnologia chamada de RNA mensageiro; veja como funciona O cardiologista brasileiro Ricardo Petraco, de 40 anos, se prepara para a vacinação contra o coronavírus no Reino Unido. Nesta semana, ele e a equipe do Hammersmith Hospital, em Londres, receberam avisos por e-mail de que, em breve, ainda sem data definida, os profissionais receberão a vacina das farmacêuticas Pfizer e BioNtech, aprovada nesta quarta-feira (2) pelo governo britânico. Vacinação contra a Covid-19: veja o que se sabe sobre os planos de cada país “O hospital informou a todos os médicos e profissionais de saúde que nos próximos dias ou semanas vai ser colocada em prática uma estrutura para permitir que a vacina atinja os profissionais de saúde do hospital”, afirma o médico, que também é professor do Imperial College, ao G1. Médico brasileiro em Londres se prepara para receber vacina contra o coronavírus O governo britânico informou que um primeiro lote, de 10 milhões de doses, será disponibilizado pelo sistema público de saúde. À rede Sky News, o ministro de Saúde, Matt Hancock, afirmou que no início da próxima semana, começa o programa de vacinação. No Hammersmith Hospital, as equipes foram convocadas a trabalhar em fins de semana, o que leva Ricardo a acreditar que os médicos também serão treinados para aplicarem a vacina na população. “É um sinal de que está chegando logo, a gente não tem ideia exatamente quando”, relata. Por causa das condições de armazenamento da vacina – que precisa ser mantida a -70°C – as campanhas de vacinação serão feitas em hospitais. Natural de Porto Alegre, Ricardo mora desde 2005 em Londres e atua como cardiologista no hospital que pertence ao Imperial College, referência em estudos de saúde que mede a taxa de transmissão do coronavírus, e que está dentro da NHS, o sistema público de saúde britânico. Cardiologista brasileiro Ricardo Petraco. Arquivo pessoal Pfizer anunciou nesta quarta (18) a conclusão dos testes de sua candidata a vacina contra a Covid-19 Pfizer/Handout via Reuters Estrutura ‘grande e complexa’ “Uma vacinação de crianças, em situações normais, exige alguns profissionais aptos a fazer isso. Mas para vacinar 50 milhões de pessoas, em seis meses, não vai ser só esses que vão dar conta do recado. Por isso, estão pedindo pra todo mundo que está disponível ajudar”. Ricardo conta que o país se prepara para receber uma estrutura muito “grande e complexa” para atender a população rapidamente. “É uma situação interessante porque todo mundo está desesperado pra sair dessa situação, mas não vou negar que existe aquela sensação de um pouco de paranoia e desconfiança por esse tipo de vacina ser diferentes das outras, que interfere no processo genético da formação de anticorpos, em comparação com vacinas que só expõem o corpo ao antígeno do vírus em si”, observa. Existe, entre os ingleses uma preocupação, como diz o médico, pela vacina não ter sido testada ao longo prazo. “Mas acho que, na comparação de risco e benefício, particularmente para profissionais de saúde e pacientes vulneráveis, ninguém vai se colocar numa posição de evitar se vacinar, apesar de que não é obrigatório, importante que se saliente”, relata. “Acho que efeitos colaterais virão, no futuro, mas [a vacina] é a possibilidade de salvar a população, e voltar a uma normalidade, está todo mundo de saco cheio de ficar em casa, e a economia estagnada, todo mundo quer uma vida normal de volta”, comenta. O Reino Unido tem 59.148 mortes pela Covid-19, o maior número da Europa. VÍDEO: Entenda as semelhanças e diferenças entre as principais vacinas em testes mundo Estrutura sobrecarregada Como médico, Ricardo não atuou na linha de frente, mas viu aumentar o número de casos de pacientes em emergência cardíaca que na verdade estavam com coronavírus. Mesmo assim, a sobrecarga no atendimento impactou as equipes disponíveis para o atendimento no hospital. “Existe uma preocupação no começo da primeira onda por todo o nosso time. Sobrecarregou [o atendimento] no sentido de que toda a logística teve que ser modificada, profissionais realocados, equipes que foram pra emergência ou intensivo”, relata o médico, que não chegou a contrair o vírus. No hospital onde ele trabalha, ninguém tirou férias por oito meses. O médico explica que, como Londres é uma cidade muito grande, a pressão da doença foi sentida mais cedo. “A gente pegou pico da pandemia muito cedo, em abril e maio. Agora estamos em uma segunda onda”, relata. VÍDEOS: Vacina Initial plugin text

  • Nove pessoas são indiciadas pela morte de homem após linchamento em Nova Prata
    on 2 de dezembro de 2020 at 17:26

    Das 40 pessoas que teriam participado das agressões, a polícia concluiu que nove delas tiveram atitudes que configuraram crimes. Um PM envolvido deve responder na Justiça Militar. Polícia Civil conclui inquérito de morte por linchamento de homem em Nova Prata A Polícia Civil concluiu, nesta terça-feira (1º), o inquérito da morte de Arlindo Elias Pagnoncelli, de 38 anos, que foi linchado em Nova Prata, na serra gaúcha, por cerca de 40 pessoas no início do mês de novembro. Ao todo, nove pessoas foram indiciadas. Entre as acusações estão os crimes de homicídio, lesão corporal seguida de morte, omissão durante linchamento, corrupção de menores e falso testemunho. Três pessoas já estão presas pelo crime. Outras duas tiveram prisão preventiva decretada, mas ainda não foram cumpridas. Entre os agressores, há pelo menos sete menores de idade. A polícia não informou detalhes da investigação para não atrapalhar o andamento do caso. A polícia também apurou a participação de um policial militar no crime. Ele seria a 10ª pessoa indiciada, mas vai responder na Justiça Militar. De acordo com a delegada Liliane Pasternak Kramm, policiais militares só respondem na Justiça comum por crimes de homicídio. Neste caso, o PM não seria acusado do crime pois não esteve presente nas agressões mais graves, quando a vítima estava inconsciente. O processo da polícia será enviado para a corregedoria da Brigada Militar, com sugestão de abertura de inquérito policial militar. Arlindo Pagnoncelli morreu após 10 dias internado no hospital. Ele foi agredido por mais de 40 pessoas Arquivo pessoal O crime Arlindo Elias Pagnoncelli foi agredido por cerca de 40 pessoas na noite de 8 de novembro em Nova Prata. Ele ficou internado por cerca de 10 dias antes de morrer. Segundo a polícia, o espancamento teria iniciado após uma suposta importunação sexual de Arlindo contra duas mulheres, uma delas menor de idade. Elas confirmaram a situação à polícia. Segundo a delegada do caso, Liliane Pasternak Kramm, imagens de câmeras de segurança não comprovam o fato, pois estavam muito longe. Os familiares das duas mulheres teriam chamado a atenção de Arlindo. Mais pessoas que estavam presentes se juntaram no local, e as agressões iniciaram. Conforme a delegada, o espancamento seguiu mesmo quando a vítima já estava inconsciente. A família alega que não há provas da suspeita de importunação cometida por Arlindo. “Era uma pessoa muito extrovertida, brincalhão. Não tinha motivo para agredir ele dessa maneira. Não tinha confusão com ninguém, não tinha inimigo, para ele todo mundo era amigo”, afirma a prima de Arlindo, a professora Denise Pagnoncelli. Veja outros vídeos do Jornal do Almoço

  • Polícia cumpre 97 ordens judiciais em investigação contra lavagem de dinheiro no RS; R$ 9 milhões foram bloqueados
    on 2 de dezembro de 2020 at 15:17

    Até as 11h, duas pessoas haviam sido presas, segundo a polícia. Grupo investigado é suspeito de movimentar R$ 2 milhões em três dias. Polícia investiga esquema de lavagem de dinheiro no RS Divulgação / Polícia Civil A Polícia Civil faz, na manhã desta quarta-feira (2), uma operação de combate ao crime organizado e lavagem de dinheiro no Rio Grande do Sul. Estão sendo cumpridas 97 ordens judiciais em Porto Alegre, Canoas, Sapucaia do Sul, Montenegro, Esteio, Imbé, São Leopoldo e Novo Hamburgo. Até a atualização desta reportagem, a polícia já havia bloqueado R$ 9 milhões, sequestrado 17 imóveis, 8 veículos e apreendido R$ 30 mil, além de uma arma de fogo, documentos e computadores. De acordo com a polícia, as investigações iniciaram em maio, quando dois homens foram presos em flagrante no município de Sapucaia do Sul pelos crimes de tráfico de entorpecentes e porte ilegal de arma de fogo. Com os suspeitos, além da materialidade do crime, foram apreendidos telefones celulares, documentos e diversos comprovantes de depósitos bancários. Desta forma, a investigação conseguiu apontar um esquema de ocultação e mascaramento de bens e valores, oriundos do tráfico ilícito de entorpecentes. Foi possível apurar que havia um forte esquema de remessa de dinheiro proveniente do tráfico a diversas contas bancárias de ‘laranjas’. Além disso, diversas empresas de fachada foram criadas para auxiliar no esquema de lavagem de dinheiro. Em apenas três dias, a polícia verificou movimentações financeiras superiores a R$ 2 milhões. A investigação também apurou que algumas empresas que recebiam valores eram sediadas em cidades limítrofes com o Paraguai, no estado de Mato Grosso. Esses recursos eram transferidos ao local para subsidiarem a compra de mais entorpecentes vindos do país vizinho, que entrariam via fronteira e serviriam como novo abastecimento, para a sequência do esquema criminoso. Além da movimentação financeira, o grupo utilizava dezenas de imóveis e veículos como forma de transformar o patrimônio obtido por meio do tráfico de drogas e dar a ele aparência lícita. “O novo modelo de enfrentamento da Polícia Civil frente ao crime organizado busca a descapitalização das organizações criminosas, o que gera seu enfraquecimento, uma vez que os recursos ilícitos que movimentam as atividades delituosas são alcançados e revestidos em prol do Estado”, explica o delegado Gabriel Borges. Veja vídeos do Bom Dia Rio Grande

  • Região Noroeste do RS registra surto de gafanhotos; espécie se alimenta de mata nativa
    on 2 de dezembro de 2020 at 15:00

    Secretaria Estadual de Agricultura informa que não há motivo para preocupação. Espécie tem potencial de migração reduzido e é diferente daquela encontrada na Argentina. Mapa informa que acompanha a ocorrência. VÍDEO: Infestação de gafanhotos preocupa agricultores do Noroeste Gaúcho A estiagem que atinge o Rio Grande do Sul provocou a proliferação dos gafanhotos. Em cidades da Região Noroeste os insetos já são vistos em áreas de matas nativas e também nas lavouras de soja e milho. Segundo meteorologistas da Somar, a América do Sul vive a segunda seca mais intensa da história desde 2002. E é justamente por isso que os insetos estão aparecendo com mais frequência no estado. A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) informa que os produtores não precisam se preocupar. “É uma espécie local, de tempos em tempos ela forma surtos, não surtos como os que a gente viu na Argentina, mas ataques pontuais e locais. Essa é uma espécie que tem um potencial de migração reduzido”, explica o fiscal estadual agropecuário, Alonso Duarte de Andrade. Gafanhotos causam estragos na vegetação e preocupam produtores da Região Noroeste do RS Segundo Alonso, não é o momento dos agricultores tomarem medidas de combate ao inseto. “Por enquanto a gente não percebe essa destruição na parte da lavoura. Já existe um programa operacional da Secretaria Estadual de Agricultura a ser executado, quando a gente perceber dano econômico”, pontua. Acompanhamento do Mapa O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou, no fim da tarde, que técnicos estão percorrendo as regiões do estado onde foram relatados surtos de gafanhotos. Segundo o Mapa, estão sendo coletadas amostras para confirmação das espécies pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), previamente identificadas por especialista da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) como Zoniopoda iheringi e Chromacris speciosa. “Essas espécies são consideradas endêmicas no Brasil, de ocorrência natural, e não possuem hábitos migratórios com a formação de nuvens, como a que causou a situação de alerta e emergência fitossanitária há alguns meses. Os surtos de gafanhotos não migratórios podem ocorrer com relativa frequência especialmente se as condições climáticas forem favoráveis tais como o clima seco e a baixa precipitação acumulada nas últimas safras de verão naquele estado”, informou, em nota, o ministério. A orientação aos produtores é para não tomarem medidas preventivas frente às infestações, sob a possibilidade de aumentar o desequilíbrio entre os inimigos naturais dessas espécies e agravar os danos futuramente. “O momento é de manter a atenção para eventuais populações expressivas de gafanhotos”, conclui. Espécies Nesta quarta-feira, a Secretaria de Agricultura do RS divulgou uma nota técnica detalhando o que já se sabe das espécies que foram vistas nos surtos relatados em Santo Augusto, São Valério do Sul e Bom Progresso. As espécies foram identificadas como indivíduos adultos de Zoniopoda iheringi e ninfas de Chromacris speciosa, ambas da família Romaleidae, distante dos acridídeos migratórios. Ambas as espécies estão sendo mantidas no laboratório da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) para estudos. Ainda de acordo com a secretaria, as espécies não correspondem à Schistocerca cancellata, estando momentaneamente descartada a infestação por este gafanhoto migratório. Tratam-se de espécies endêmicas, de ocorrência natural e que normalmente não são pragas de importância agrícola. Foi observado que a preferência de hospedagem das infestações está centrada nas áreas de mata nativa e vegetação espontânea. A prioridade dos levantamentos é constatar se há desequilíbrio nas populações naturais com possibilidade de danos às lavouras limítrofes aos focos. Agricultores em alerta Apesar dos gafanhotos demonstrarem uma preferência em se alimentar da mata nativa, os agricultores estão preocupados. “A maior parte das minhas lavouras fica perto dessa área de mata. Eles estão se deslocando, e já estão comendo a soja. Minha preocupação é essa: até onde vão?!”, questiona agricultor Elenir Bidal Garcia, de Santo Augusto. Agricultores de preocupam com os danos que podem ser causados pelos insetos Reprodução/RBS TV Gafanhotos a 5km da fronteira O governo da Argentina detectou a presença de gafanhotos a poucos quilômetros do Rio Grande do Sul. De acordo com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do estado, os insetos não são de espécies destrutivas. Na última sexta-feira (27), o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa) relatou a presença do grupo de insetos nas cidades de Campo Viera e Itacaruaré, na província de Misiones, que faz divisa com as cidades brasileiras de Rincão Vermelho e Porto Xavier. Nova espécie de gafanhotos não possui poder destrutivo alto para lavouras Reprodução / RBS TV Veja vídeos do Bom Dia Rio Grande Initial plugin text

  • Polícia Civil realiza operação de combate ao roubo de veículos no RS
    on 2 de dezembro de 2020 at 13:18

    Até as 7h30, três pessoas haviam sido presas. Mandados estão sendo cumpridos em Porto Alegre, Viamão e Cidreira. Polícia desarticula quadrilha que roubava carros em Porto Alegre e Região Metropolitana A Polícia Civil, em conjunto com a Brigada Militar, realiza nesta quarta-feira (2), operação de combate ao roubo de veículos no Rio Grande do Sul. Até as 7h30, três pessoas haviam sido presas. Os mandados de busca e apreensão e de prisão estão sendo cumpridos em Porto Alegre, Viamão, na Região Metropolitana e Cidreira, no Litoral Norte. “Hoje a gente conseguiu tirar das ruas até o momento três indivíduos de alta periculosidade, todos eles com graves antecedentes criminais, ladrões de carros que agem sempre a mão armada, e estão sempre prontos para cometer um crime maior, como um latrocínio. São vários roubos de veículos que são imputados a esses indivíduos”, destaca o delegado Rafael Liedtke. Segundo a polícia, as investigações tiveram início há mais de quatro meses, período em que os policiais civis efetuaram oitivas de diversas pessoas que tiveram seus carros roubados. Os investigados foram reconhecidos através de fotos como sendo os autores dos roubos. “A gente chamou as vítimas na delegacia, e as investigações demonstraram que eles são sim autores desses roubos”, diz o delegado. De acordo com a polícia, os criminosos agiam, na maioria das vezes, em duplas e se aproveitavam de um momento de distração das pessoas para executar o roubo do veículo, sempre mediante ameaça com arma de fogo. Após a prática dos roubos, os carros tinham seus sinais identificadores, como placas, numeração de vidros, chassi e motor, adulterados ou clonados e, em alguns casos, acabavam sendo repassados a Santa Catarina, onde são revendidos como se fossem originais. Até o início da manhã, três pessoas haviam sido presas Divulgação / Polícia Civil Fábrica clandestina identificada Na terça-feira (1º), a mesma equipe da Polícia Civil localizou em Alvorada, na Região Metropolitana de Porto Alegre, uma fábrica clandestina de falsificação de placas e de clonagem de veículos roubados. “Oito meses de investigação, muita campana policial, e demorou pra gente descobriu esse local, de uma verdadeira organização criminosa com berço aqui na Capital e Região Metropolitana responsável pela clonagem e a falsificação de placas inclusive do Mercosul, com carimbo de QR Code falsificado”, conta o delegado Rafael. No local, um homem de 37 anos foi preso na posse de um veículo já clonado, que havia sido roubado em Porto Alegre. Além disso, os agentes ainda localizaram e apreenderam diversas placas falsificadas, tarjetas, lacres de placas e ferramentas para adulteração de sinais identificadores (clonagem de veículos roubados), tudo escondido embaixo da cama no quarto do investigado. “Era uma casa alugada, bastante discreta, justamente onde eles montaram, pra nossa surpresa, uma verdadeira fábrica clandestina de falsificação de placas. Tinha duas motos sendo clonadas quando entramos. Documentos de porte obrigatório já falsificados foram encontrados no local”, diz. Durante a investigação, a polícia teve acesso a áudios dos suspeitos falando sobre o processo de clonagem das placas. (Veja trechos abaixo). Áudios obtidos pela polícia mostram suspeitos falando sobre a adulteração das placas Reprodução / RBS TV Áudios obtidos pela polícia de conversas entre os criminosos Reprodução / RBS TV Veja mais vídeos do Bom Dia Rio Grande