Rio Grande do Sul

  • Juiz nega liminar para anular concessão do Mercado Público de Porto Alegre
    on 5 de agosto de 2020 at 00:40

    Ministério Público alega, entre outros pontos, que falta autorização legislativa para a licitação. Concessão está suspensa devido a decisão do TCE. Mercado Público de Porto Alegre Jefferson Bernardes/ PMPA O juiz Fernando Carlos Tomasi Diniz negou, nesta terça-feira (4), pedido de liminar do Ministério Público do RS para anular a concessão do Mercado Público de Porto Alegre. O processo está suspenso por outra decisão do Tribunal de Contas do Estado. O G1 entrou em contato com o MP, mas não teve retorno até a publicação desta matéria. O mérito do pedido ainda não foi julgado. No despacho, o magistrado rejeita argumentos como o de que o processo caracterizaria desvio de finalidade, já que prevê concessão de uso de bem público, quando na verdade concede a administração e a exploração empresarial do Mercado. Também analisa que não há obrigatoriedade de consultar a Câmara de Vereadores para realizar a concessão, como argumenta o MP. “O art. 56, V, da Lei Orgânica do Município de Porto Alegre invocado pelo suplicante não impõe esse condicionante. O fato de competir à Câmara Municipal dispor sobre ‘bens imóveis municipais, concessão de uso…’ não significa deva autorizar a concessão”, pontua, na decisão. O processo de concessão está atualmente suspenso, por decisão do Tribunal de Contas do Estado. A prefeitura recorreu. Pela decisão do TCE, os envelopes com propostas puderam ser recebidos, mas não foram abertos na data prevista, a sexta passada (31). Uma empresa e um consórcio se habilitaram para a concorrência, e os envelopes estão guardados com a prefeitura, até nova manifestação do Tribunal. O Mercado Público deve ser concedido à iniciativa privada por 25 anos. A empresa escolhida deverá realizar obras de melhorias no prédio histórico. A Associação dos Permissionários questiona o processo de concessão. Fechado por decreto da prefeitura, o Mercado está com atividades limitadas a tele entrega e pague e leve.

  • Cassada decisão que determinou testagem coletiva dos metroviários da Trensurb para Covid-19
    on 5 de agosto de 2020 at 00:11

    Desembargador entendeu que não há previsão legal para a testagem coletiva. 21 funcionários contraíram a doença. Empresa foi desobrigada a testar todos os funcionários para coronavírus Reprodução / RBS TV Uma liminar cassou a decisão que determinou a testagem coletiva para coronavírus dos metroviários da Trensurb, no último dia 30. Após pedido do sindicato da categoria, a Justiça do Trabalho havia decidido pela aplicação do exame, a cada 21 dias, em todos os funcionários. A Trensurb recorreu e o desembargador Rosiul de Freitas Azambuja aceitou reverter a decisão anterior, cautelarmente. No entendimento do magistrado, mesmo que os empregadores tenham a atribuição de zelar pela saúde dos funcionários, não há norma que obrigue a testagem periódica. “Além de extrapolar o limite da razoabilidade, ao impor à impetrante medida sequer adotada pelo poder público”, cita. A Trensurb sustenta que contratou uma empresa para realizar triagem dos funcionários, o que inclui a testagem daqueles que apresentam sintomas da doença. Para o desembargador, a medida “atende ao que se espera” da empresa. Segundo o diretor-presidente da Trensurb, Pedro Bisch Neto, a empresa está atenta à saúde dos funcionários. “Estamos medindo a temperatura de todos ao longo do dia, na sede da empresa e nas estações, pra ter certeza de que, a qualquer sintoma, sejam adotadas as providências necessárias”. O sindicato informa que ainda não foi notificado da decisão, e que o setor jurídico definirá qual recurso a ser tomado. Para o sindicato, no entanto, os cuidados não são suficientes, já que os metroviários estão expostos ao contato com um grande número de pessoas, e não contam com equipamentos de proteção individual inferiores aos usados pelos profissionais da saúde. Até esta terça-feira (4), 21 funcionários da Trensurb haviam testado positivo para o vírus, conforme empresa e sindicato. Onze permanecem afastados. Até o dia 22 de julho, eram 14 metroviários com diagnóstico positivo. Initial plugin text

  • Polícia encontra bolsa e objetos de jovem desaparecida em Soledade
    on 4 de agosto de 2020 at 21:33

    Paula Schaiane Perin Portes, de 18 anos, foi vista pela última vez em 10 de junho, e polícia acredita que ela esteja morta. Açude onde objetos foram localizados deve ser esvaziado, na manhã de quarta (5). Objetos de Paula foram encontrados em açude, em Soledade Divulgação/Polícia Civil A Polícia Civil encontrou pertences de Paula Schaiane Perin Portes, nesta terça-feira (4), em um açude localizado próximo à entrada de Soledade, no Norte do RS. A jovem, de 18 anos, está desaparecida desde 10 de junho. A polícia acredita que ela esteja morta. Foram localizados documentos, maquiagens, uma capa de celular e a bolsa da jovem. O açude deve ser esvaziado, em busca de novas evidências, na manhã de quarta (5). Segundo a delegada Fabiane Bittencurt, a polícia não divulgará como encontrou os objetos. “Foi através de provas produzidas nos autos”. ‘Eu quero justiça’, diz mãe de jovem desaparecida há 50 dias em Soledade O corpo ainda não foi encontrado, e segundo a delegada, não havia a suspeita de que ele estivesse no açude. “A gente foi buscar a bolsa”, esclarece. Uma força-tarefa foi criada para investigar o caso. De acordo com a delegada, a polícia trata o crime como homicídio qualificado e ocultação de cadáver, e diz que há provas, inclusive para indiciamento. A delegada não divulga outros detalhes. “A motivação do crime, desde o início, paira em cima de que a Paula soubesse de algo relacionado aos investigados. Alguma informação que pudesse incriminar eles pela prática de algum delito que eles tivessem cometido”, afirma. A polícia aponta quatro homens como suspeitos, já que a última vez que Paula foi vista, estava em uma casa com eles. Dois estão presos em regime fechado e outro em domiciliar. Micael Willian Rossi Ortiz, 22 anos, é considerado foragido. A defesa contratada pela família diz que o jovem está desaparecido e que não tem envolvimento com o caso. Açude onde a bolsa com pertences de Paula foi encontrada, em Soledade Divulgação/Polícia Civil Relembre o caso Paula Schaiane Perin Portes foi vista pela última vez na quarta-feira, dia 10 de junho. Segundo a polícia, ela estava com as amigas momentos antes de desaparecer. Em depoimento, elas relataram que estavam juntas, mas que depois de uma troca de mensagens, Paula saiu. De acordo com as investigações, a jovem foi até uma outra casa onde estariam cinco homens. Dois deles foram ouvidos na ocasião, e disseram às autoridades que depois de meia hora, Paula foi embora dizendo que iria se encontrar com outro rapaz. Os suspeitos foram identificados através de imagens de câmeras de segurança. “As imagens também revelaram que Paula foi carregada, aparentemente inconsciente, deste imóvel em que ela foi deixada por amigas para o interior de um automóvel, ainda não identificado, por quatro destes cinco indivíduos”, informou a polícia.

  • Governador do RS, Eduardo Leite afirma que está recuperado da Covid-19
    on 4 de agosto de 2020 at 21:14

    Leite anunciou numa rede social que realizou um novo teste, com resultado negativo. Governador retomará as agendas presenciais. Eduardo Leite anunciou que está recuperado da Covid-19 Gustavo Mansur/Palácio Piratini O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, anunciou, numa rede social, nesta terça-feira (4), que está recuperado da Covid-19. “Recebi há pouco o resultado de um novo teste RT-PCR: “não detectável” para Covid-19. Tendo já cumprido o isolamento conforme a orientação médica, e com o resultado do exame, retomo as minhas agendas presenciais. Obrigado a todos que mandaram mensagens desejando boa recuperação!”, escreveu o governador. No dia 24 de julho Leite informou que havia testado positivo para a doença e que permaneceria em isolamento. Conforme o governo, o governador tratou os sintomas da doença com paracetamol. O RS registra 2.099 mortes e 73.618 casos confirmados do coronavírus, conforme o boletim da Secretaria Estadual de Saúde desta terça (4). Initial plugin text

  • Governo permite abertura de comércio e restaurantes na bandeira vermelha do distanciamento controlado no RS
    on 4 de agosto de 2020 at 21:12

    Estabelecimentos não essenciais poderão receber clientes de quarta a sábado, e restaurantes estão autorizados a abrir ao meio-dia. Comércio em Porto Alegre José Carlos Daves/Futura Press/Estadão Conteúdo Municípios classificados com bandeira vermelha no distanciamento controlado do governo do estado poderão abrir comércio não essencial e restaurantes, de forma limitada, conforme anunciou nesta terça-feira (4) o governador do RS, Eduardo Leite. Initial plugin text Segundo Leite, a medida foi tomada em função da “estabilização da demanda por internações em UTIs, ainda que em patamar elevado” para pacientes com coronavírus. O comércio varejista não essencial fica autorizado a abrir, com restrições, de quarta a sábado, das 10h às 16h. Já restaurantes podem funcionar de segunda a sexta, na faixa de horário do almoço. Um decreto deve ser publicado entre terça e quarta-feira (5), e passa a valer a partir de quarta-feira (5). Regras para funcionamento do comércio de rua e shoppings Permite 25% trabalhadores (somente para estabelecimentos com mais de três trabalhadores) Respeito ao teto de ocupação (número máximo de pessoas conforme área do estabelecimento) Abertura exclusiva de quarta-feira a sábado, em horário reduzido das 10h às 16h, para não coincidir com a movimentação de serviços essenciais Regras para restaurantes na rua e em shoppings O atendimento presencial restrito passa a ser permitido na bandeira vermelha, com dias e horários reduzidos e reforço dos protocolos obrigatórios Incluir aviso visível aos frequentadores sobre a lotação máxima nas bandeiras amarela, laranja e vermelha, para reforçar distanciamento mínimo. Na bandeira amarela, a lotação máxima é de 75%. Na bandeira laranja, é de 50%. Na bandeira vermelha, passa para 50% de trabalhadores e 25% de lotação, de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h As modalidades de tele-entrega, drive thru e pague e leve seguem permitidas durante todos os dias da semana Buffets só podem funcionar com um funcionário servindo os clientes Até a modificação, os restaurantes e lojas não essenciais só podiam funcionar em sistema de tele-entrega e pegue e leve. No caso dos restaurantes, podiam ter até 25% dos trabalhadores, e no comércio, 50%. A bandeira vermelha indica risco alto de disseminação do coronavírus, e proíbe atividades como academias, bares, missas e cultos. Seis regiões do RS estão classificadas como bandeira vermelha na atual rodada do distanciamento controlado. Initial plugin text

  • Com 83 mortes informadas, RS chega a 2.099 óbitos e 73,6 mil casos de Covid-19
    on 4 de agosto de 2020 at 20:27

    Secretaria Estadual da Saúde confirmou 2.234 novos casos. Taxa de pacientes recuperados é de 88%. O Rio Grande do Sul registrou, entre 12 de julho e 4 de agosto, 83 mortes por coronavírus. A informação é do boletim desta terça-feira (4) da Secretaria Estadual de Saúde (SES). Com isso, são 2.099 óbitos decorrentes da doença. Foram confirmados 2.234 novos casos, chegando a 73.618 pessoas infectadas pelo vírus. Das quais, 64.681 não apresentam mais sintomas, o que representa 88%. Outros 6.838 pacientes estão em acompanhamento, 8% do total. A taxa de letalidade da Covid-19 no RS é de 2,9%. A doença está em 468 cidades gaúchas, o que é 94% do estado. MAPA CORONAVÍRUS: veja a situação do RS A taxa de ocupação dos leitos de UTI é de 76,6%, dos quais 48% são casos confirmados ou suspeitos de coronavírus ou outra síndrome respiratória aguda grave. Desde o início da pandemia já foram feitos 331.814 testes de coronavírus no RS, entre PCR e rápidos. Initial plugin text Mortes Alvorada (homem, 73 anos) Alvorada (mulher, 50 anos) Bento Gonçalves (homem, 86 anos) Bento Gonçalves (mulher, 85 anos) Bento Gonçalves (mulher, 93 anos) Bom Retiro do Sul (homem, 56 anos) Cachoeirinha (homem, 73 anos) Cachoeirinha (mulher, 66 anos) Camaquã (mulher, 27 anos) Canoas (homem, 58 anos) Canoas (homem, 64 anos) Canoas (homem, 70 anos) Canoas (homem, 81 anos) Canoas (mulher, 88 anos) Caxias do Sul (homem, 57 anos) Caxias do Sul (homem, 71 anos) Caxias do Sul (homem, 87 anos) Cerro Largo (mulher, 56 anos) Charqueadas (homem, 35 anos) Cruz Alta (homem, 78 anos) Dois Irmãos (homem, 70 anos) Eldorado do Sul (homem, 63 anos) Gravataí (homem, 70 anos) Gravataí (mulher, 64 anos) Ijuí (homem, 77 anos) Imbé (homem, 64 anos) Imbé (mulher, 60 anos) Muçum (homem, 81 anos) Novo Hamburgo (homem, 32 anos) Novo Hamburgo (homem, 44 anos) Novo Hamburgo (homem, 67 anos) Novo Hamburgo (mulher, 75 anos) Osório (homem, 67 anos) Osório (homem, 75 anos) Parobé (homem, 63 anos) Parobé (mulher, 45 anos) Passo Fundo (homem, 49 anos) Passo Fundo (homem, 77 anos) Passo Fundo (mulher, 77 anos) Pelotas (mulher, 79 anos) Pelotas (mulher, 82 anos) Porto Alegre (homem, 18 anos) Porto Alegre (homem, 41 anos) Porto Alegre (homem, 54 anos) Porto Alegre (homem, 63 anos) Porto Alegre (homem, 74 anos) Porto Alegre (homem, 75 anos) Porto Alegre (homem, 75 anos) Porto Alegre (homem, 77 anos) Porto Alegre (homem, 78 anos) Porto Alegre (homem, 82 anos) Porto Alegre (homem, 89 anos) Porto Alegre (mulher, 57 anos) Porto Alegre (mulher, 59 anos) Porto Alegre (mulher, 59 anos) Porto Alegre (mulher, 62 anos) Porto Alegre (mulher, 64 anos) Porto Alegre (mulher, 64 anos) Porto Alegre (mulher, 66 anos) Porto Alegre (mulher, 79 anos) Porto Alegre (mulher, 79 anos) Porto Alegre (mulher, 82 anos) Porto Alegre (mulher, 86 anos) Porto Alegre (mulher, 95 anos) Santa Cruz do Sul (mulher, 64 anos) Santa Cruz do Sul (mulher, 73 anos) São Gabriel (homem, 79 anos) São Gabriel (mulher, 50 anos) São Jerônimo (mulher, 51 anos) São Jerônimo (mulher, 82 anos) São Leopoldo (homem, 58 anos) São Leopoldo (mulher, 59 anos) São Leopoldo (mulher, 81 anos) São Leopoldo (mulher, 85 anos) São Sebastião do Caí (mulher, 76 anos) Sapucaia do Sul (homem, 74 anos) Sapucaia do Sul (homem, 74 anos) Sapucaia do Sul (homem, 85 anos) Taquara (mulher, 73 anos) Teutônia (mulher, 91 anos) Três Coroas (mulher, 82 anos) Viamão (mulher, 64 anos) Viamão (mulher, 86 anos) Casos confirmados Água Santa – 2 Alegrete – 6 Alegria – 2 Alvorada – 26 Ametista do Sul – 1 André da Rocha – 2 Anta Gorda – 3 Antônio Prado – 8 Arroio do Meio – 11 Arroio do Sal – 2 Arroio do Tigre – 5 Arroio dos Ratos – 3 Arvorezinha – 2 Bagé – 1 Barão – 1 Barão de Cotegipe – 5 Barra do Guarita – 1 Barra Funda – 2 Barracão – 1 Benjamin Constant do Sul – 5 Bento Gonçalves – 6 Boa Vista do Buricá – 7 Bom Jesus – 1 Bom Princípio – 10 Bom Retiro do Sul – 1 Bozano – 1 Butiá – 2 Caçapava do Sul – 9 Cachoeira do Sul – 7 Cachoeirinha – 18 Cacique Doble – 2 Caiçara – 1 Camaquã – 1 Cambará do Sul – 1 Campina das Missões – 1 Campinas do Sul – 2 Campo Bom – 34 Campo Novo – 1 Candelária – 12 Candiota – 1 Bom Retiro do Sul – 1 Bozano – 1 Butiá – 2 Caçapava do Sul – 9 Cachoeira do Sul – 7 Cachoeirinha – 18 Cacique Doble – 2 Caiçara – 1 Camaquã – 1 Cambará do Sul – 1 Campina das Missões – 1 Campinas do Sul – 2 Campo Bom – 34 Campo Novo – 1 Candelária – 12 Candiota – 1 Canela – 37 Canguçu – 1 Canoas – 92 Capivari do Sul – 4 Caraá – 2 Carazinho – 3 Carlos Barbosa – 9 Casca – 6 Caseiros – 1 Catuípe – 1 Caxias do Sul – 47 Cerro Largo – 1 Chapada – 1 Charqueadas – 14 Charrua – 1 Chiapetta – 5 Colorado – 1 Constantina – 1 Coronel Pilar – 2 Cotiporã – 2 Coxilha – 3 Cruz Alta – 14 Cruzaltense – 1 Dois Irmãos – 1 Dois Lajeados – 2 Dom Feliciano – 3 Doutor Ricardo – 9 Encantado – 1 Encruzilhada do Sul – 1 Entre Rios do Sul – 5 Erechim – 25 Esperança do Sul – 1 Espumoso – 12 Estância Velha – 24 Esteio – 35 Estrela – 3 Fagundes Varela – 1 Feliz – 1 Flores da Cunha – 3 Fontoura Xavier – 2 Formigueiro – 1 Frederico Westphalen – 20 Garibaldi – 8 Gaurama – 1 Giruá – 10 Glorinha – 1 Gramado – 9 Gravataí – 21 Guabiju – 3 Guaíba – 1 Guaporé – 7 Harmonia – 1 Hulha Negra – 1 Até a publicação desta matéria, o restante dos casos ainda não havia sido divulgado pela Secretaria. Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia do covid-19 Initial plugin text

  • Justiça determina fim da interdição da Cadeia Pública de Porto Alegre
    on 4 de agosto de 2020 at 20:14

    Após 15 dias interditada, casa prisional pode receber presos novamente. Conforme boletim da Secretaria Estadual de Saúde, local tem 38 detentos infectados em isolamento. Justiça determinou fim da interdição da Cadeia Pública de Porto Alegre Reprodução/RBS TV A Justiça determinou o fim da interdição da Cadeia Pública de Porto Alegre, nesta terça-feira (4). O local estava proibido de receber novos presos desde o dia 21 de julho, devido a casos confirmados de coronavírus entre detentos. A determinação é da juíza Sonáli da Cruz Zluhan, que apontou que a interdição possibilitou uma reorganização na instituição para enfrentar o vírus. “Após o aparecimento de alguns pouco apenados com sintomas, houve um crescimento exponencial, no entanto, como foi pronto e rápido o combate, evitou-se o alastramento incontrolado”, escreveu a juíza. No despacho, Sonáli afirma que a Secretaria de Administração Penitenciária (Seapen) apresentou um plano com medidas de enfrentamento do vírus no presídio. A Seapen disse que, por questões de segurança, não irá divulgar o documento. “Entendo que o plano possibilita controle da doença, com perspectivas de tratamento e amplo atendimento ao preso que a contraia. Assim, por ora, é possível, após o decurso do prazo de 15 dias previsto com a interdição, liberar a entrada de apenados na CPPA [Cadeia Pública de Porto Alegre] mediante controle que já estava sendo feito anteriormente: os presos somente entram na casa prisional após passarem por isolamento na PECAN [Penitenciária de Canoas] e estarem assintomáticos e testados negativo”, determinou. A direção da casa prisional deve informar diariamente o número de detentos infectados e também sobre a disponibilidade de espaços para isolamentos no interior do presídio. Segundo a decisão, os presos não podem sair para diligências em Delegacias de Polícia ou outras demandas, apenas em casos excepcionais, que devem ser comunicados e autorizados individualmente pela juíza. Conforme o boletim divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde, de segunda (3), a Cadeia Pública de Porto Alegre tem 38 detentos infectados, que estão em isolamento, além de nove casos suspeitos.

  • Assaltantes são condenados a mais de 20 anos por morte de policial civil em Pelotas
    on 4 de agosto de 2020 at 19:59

    Cristina Gonçalves Lucas foi morta por um tiro na cabeça, durante assalto há um ano. Três assaltantes cumprirão a pena em regime fechado. Inspetora de polícia Cristina Gonçalves Lucas, de 38 anos, teve morte encefálica nesta quinta-feira (1) Reprodução/RBS TV Três homens foram condenados pela morte da inspetora da Polícia Civil Cistina Gonçalves Lucas, durante um assalto ocorrido em 1º de agosto do ano passado, em Pelotas, no Sul do estado. O julgamento foi no dia 28, e teve o resultado divulgado pelo Ministério Público nesta terça-feira (4). Conforme pedido pelo MP, os três foram condenados por latrocínio. Um recebeu pena de 25 anos e dois meses, outro de 22 anos, e o terceiro respondeu também por posse irregular de arma de fogo de uso permitido, que resultou numa sentença de 26 anos e seis meses pelos dois crimes. Todas as penas são em regime fechado. De acordo com a denúncia, do promotor de Justiça Márcio Schlee Gomes, os condenados, “mediante violência e grave ameaça”, tentaram roubar o carro onde Cristina estava com o marido, os filhos, então com 1 e 9 anos, e a mãe. Schlee apontou que um dos condenados teve apoio moral e material dos dois comparsas, e atirou contra Cristina. Ela tinha 39 anos. A policial chegou a ser hospitalizada, em estado gravíssimo. Algumas horas depois, teve a morte cerebral confirmada pela Polícia Civil. A vítima estava saindo de férias com a família. A família dela é de Rio Grande. O casal iria pegar um voo na Capital com destino a Goiás.

  • Indústria fecha 1º semestre de 2020 com queda de 10,8% no RS
    on 4 de agosto de 2020 at 19:33

    Pesquisa comparou dados com mesmo período do ano passado. Segundo a Fiergs, há expectativa de melhora para os próximos seis meses. Indústria de couro e calçados teve queda de 20,9%, segundo a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul Reprodução/NSC TV O Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS), medido pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), fechou o primeiro semestre de 2020 com queda acumulada de 10,8%, na comparação ao mesmo período no ano passado. A pesquisa estima taxas de crescimento mensais para sete variáveis e o percentual de utilização de capacidade instalada. São gerados resultados para 17 setores da indústria de transformação. O resultado negativo foi divulgado na segunda-feira (3) e, segundo a Fiergs, foi puxado por baixas nas indústrias de: Veículos automotores: – 20,8% Máquinas e equipamentos: – 12,3% Couros e calçados: – 20,9% Por outro lado, o setor de Alimentos registrou aumento de 3,5%. Segundo a Fiergs, nenhum dos componentes medidos pelo IDI-RS chegou aos níveis anteriores à pandemia do coronavírus. “A crise econômica é sem precedentes e seus reflexos mantêm a atividade industrial gaúcha baixa. A demanda interna, com consumo e investimentos, e as exportações industriais, ainda que tenham mostrado alguma melhora, também continuam bem abaixo dos patamares de antes da crise”, afirma o presidente da Fiergs, Gilberto Porcello Petry. A reabertura gradual do comércio e a expectativa da retomada da economia leva a crer que o IDI-RS do segundo semestre seja de recuperação. Ainda assim, segundo Petry, o ritmo será lento, influenciado pelo desemprego elevado e pela incerteza quanto à evolução da pandemia. Initial plugin text

  • Municípios aceitam proposta para participar das definições do distanciamento controlado no RS
    on 4 de agosto de 2020 at 19:13

    Pelo novo modelo, regiões poderão definir protocolos diferentes. Mudança será confirmada nos próximos dias pelo governo do estado. Reunião entre governo e Famurs aconteceu na manhã de terça-feira (4) Divulgação/Famurs A Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e as associações aceitaram a proposta de gestão compartilhada do distanciamento controlado, para definir os protocolos a serem implementados pelos municípios, juntamente com o governo do estado. Entenda os atuais protocolos do distanciamento controlado O novo modelo deve ser oficializado pelo Palácio Piratini, nos próximos dias. O governador Eduardo Leite e representantes das entidades representativas dos municípios se reuniram pela manhã, para avaliar a proposta do governo. Pelo novo modelo, os municípios poderão aderir aos protocolos definidos pelo estado, que continuará elaborando o mapa e atribuindo as bandeiras de acordo com os indicadores que avaliam a disseminação da doença e a capacidade hospitalar de cada uma das chamadas regiões Covid. Ou poderão definir protocolos específicos para cada setor econômico, de acordo com suas peculiaridades. Para isso, deverão criar comitês técnicos, para elaborar a justificativa. De acordo com a Famurs, os protocolos da região podem ser menos restritivos do que a bandeira vigente, mas não menos restritivos ou equivalentes ao da bandeira de risco inferior. Cada região precisará ter unanimidade na substituição dos protocolos. A primeira proposta de participação na gestão do distanciamento controlado encaminhada pelo governo havia sido negada pela Famurs e municípios. De acordo com essa proposição, as prefeituras definiriam de forma autônoma se adeririam ou não aos protocolos. Pelo mapa de distanciamento controlado vigente a partir desta terça-feira (4), seis regiões estão sob as regras da bandeira vermelha, e 14, da bandeira laranja. Seis regiões tiveram o recurso atendido e outras seis permanecerão na bandeira vermelha nesta semana Reprodução/Palácio Piratini Initial plugin text