Santa Catarina

  • Acumulado de chuva em Florianópolis está pelo menos 50% abaixo da média histórica de janeiro
    on 22 de janeiro de 2020 at 01:11

    Choveu, até segunda, 75,2 milímetros, quando a média do mês é 250 milímetros. Tempo seco afeta nível dos rios e alguns estão em emergência, segundo Epagri/Ciram. Confira a previsão do tempo para Santa Catarina Faltando pouco mais de uma semana para janeiro terminar, já é possível dizer que o acumulado de chuva está pelo menos 50% abaixo da média histórica em Florianópolis. Na capital catarinense, choveu, até segunda-feira (20), 75,2 milímetros. Normalmente chove nessa época em torno de 250 milímetros. Essa falta de chuva reflete no nível de alguns rios, não só na Grande Florianópolis, mas por todo o estado. Por isso, o setor de hidrologia da Epagri/Ciram, órgão que monitora as condições climáticas de Santa Catarina, está mais atento a essa situação. Mapa mostra rios em alerta e emergência por causa da falta de chuva Reprodução/NSC TV O último aviso saiu nesta terça (21). Pelo menos 15 pontos em rios de 13 cidades catarinenses estão numa condição de estiagem. Em Camboriú, Concórdia, Alfredo Wagner, São Martinho, São João Batista, Chapadão do Lageado e Forquilhinha, a situação já é considerada de emergência. Já em São Carlos, Joaçaba, Canoinhas, Rio Negrinho, Taió e Salete, o que existe é uma situação de alerta. Previsão de chuva Diante desse quadro, a chuva prevista para esta quarta (22) é bem-vinda em vários lugares. A quarta deve ser um dia de tempo bastante instável em todas as regiões. O céu deve ficar mais fechado o dia todo. Há previsão de chuva a qualquer hora. As pancadas de chuva mais fortes devem ocorrer no litoral. A chuva deve parar a partir da noite, começando por áreas do Oeste. O calor deve ser mais ameno. Veja mais notícias do estado no G1 SC

  • VÍDEOS: NSC Notícias de terça, 21 de janeiro
    on 21 de janeiro de 2020 at 22:50

    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de Santa Catarina. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de Santa Catarina.

  • SC tem mais de 30 mortes por afogamento em pouco mais de um mês
    on 21 de janeiro de 2020 at 22:12

    Foram 20 em água doce e 11 no mar. Bombeiros fizeram mais de 1,5 mil salvamentos. Lagoa dos Esteves, em Balneário Rincão, registrou morte por afogamento no domingo (19) Corpo de Bombeiros/ Divulgação Entre 12 de dezembro de 2019 e domingo (19), Santa Catarina teve 20 mortes por afogamento em água doce e 11 no mar. Os números foram divulgados pelo Corpo de Bombeiros nesta terça-feira (21). Também houve três mortes por afogamento em locais privados. Os 20 casos em água doce ocorreram em áreas em que não há guarda-vidas. No caso das mortes no mar, duas ocorreram em regiões com guarda-vidas e nove em áreas descobertas por esses profissionais. No mesmo período da temporada passada, houve 19 mortes por afogamento em água doce, 12 no mar e nenhuma em área privativa. Ao todo, no período informado, os bombeiros fizeram 1.561 salvamentos, atenderam 42.392 pessoas feridas por águas-vivas e encontraram 1.903 crianças perdidas. Na comparação com o mesmo período da temporada passada, foram encontradas 1.998 crianças perdidas, feitos 1.340 salvamentos e 32.044 atendimentos de pessoas feridas com águas-vidas. Orientações Para evitar afogamentos, os bombeiros orientam: consultar as condições do mar no aplicativo Praia Segura; nas praias, ficar próximo a um posto de guarda-vidas; nos rios, cuidado com pedras escorregadias; não nadar sozinho; cuidados com objetos que flutuam, como boias e bolas, que dão uma falsa sensação de segurança. Entre os equipamentos flutuantes, o colete salva-vidas é o mais recomendado pelos bombeiros; não pular de cabeça na água, pois podem existir pedras ou outros materiais submersos; não tomar banho em rios ou cachoeiras com correnteza; não deixar crianças tomando banho a mais de um metro dos pais ou responsáveis; conferir a profundidade do local onde vai tomar banho. Veja mais notícias do estado no G1 SC

  • MPF-SC apresenta nova denúncia relativa à Operação Alcatraz
    on 21 de janeiro de 2020 at 21:35

    No total, 11 pessoas, entre elas dois servidores públicos, são acusadas de fraudarem duas licitações. MPF denuncia 11 pessoas por crimes relacionados à Operação Alcatraz O Ministério Público Federal em Santa Catarina apresentou na segunda-feira (20) nova denúncia relativa à Operação Alcatraz, da Polícia Federal. No total, 11 pessoas foram denunciadas por corrupção, peculato e fraude em licitações. O MPF-SC pediu ainda a devolução de R$ 2.029.994,25, em valores atualizados, dinheiro que teria sido obtido por meio de dois certames fraudados. Entre os acusados estão dois servidores públicos e pessoas ligadas à iniciativa privada. A denúncia diz que parte “significativa” do dinheiro ilícito foi para os funcionários públicos envolvidos no esquema como forma de pagamento pelas fraudes nas licitações e nas assinaturas de contratos subsequentes. Esta é a sexta denúncia relativa à operação, deflagrada contra fraudes a licitações e desvio de dinheiro pública. A Justiça Federal ainda não analisou a nova acusação. Operação Alcatraz Reprodução/ NSC TV Denúncia Conforme a denúncia, os 11 denunciados fraudaram uma licitação da Secretaria de Administração do Estado (SEA) para registro de preços de equipamentos e licenças de softwares para expansão da rede de telefonia IP do governo. Eles aumentaram o preço do certame, obtendo R$ 1.854.181,50 de forma ilícita, disse o MPF-SC. Na outra licitação objeto da denúncia, o MPF-SC diz que houve fraude de R$ 175.812,75 relativos à compra de aparelho telefônico IP, conforme investigações da PF. Não foi possível fazer a avaliação de preços em relação aos demais equipamentos, mais caros, pelas dificuldades em se encontrar pregões similares, conforme a Polícia Federal. O MPF pediu também à Justiça a perda de bens e valores obtidos com recursos desviados, incluindo veículos, dinheiro e títulos de créditos apreendidos durante as investigações do caso. Veja mais notícias do estado no G1 SC

  • Capivara corre atrás de pinscher em avenida de Tubarão; VÍDEO
    on 21 de janeiro de 2020 at 20:21

    Caso inusitado ocorreu no domingo e chamou a atenção dos internautas na tarde de segunda-feira. Capivara Redes sociais O vídeo de uma capivara correndo atrás de um cachorro da raça pinscher na Avenida Beira-rio de Tubarão, no Sul catarinense, chamou a atenção dos internautas na tarde de segunda-feira (20). O cão, chamado Duduco, estava passeando com a família quando foi perseguido pelo roedor. O caso foi registrado no domingo (19). “Tubaroense correndo atrás de capivara q ataca pinscher”, escreveu Jonatha Nascimento na rede social, depois de receber o vídeo de amigos. A publicação teve mais de 70 mil visualizações até as 17h desta terça-feira (21). Initial plugin text De acordo com Franco Rodriguez, autor do vídeo, durante um passeio com os amigos, que são os donos do animal e preferiram não se identificar, o cão teria se aproximado da capivara quando ela ficou irritada e começou a persegui-lo. Assustado, Duduco correu e conseguiu escapar do roedor. Depois do susto, o cachorro voltou para casa, onde foi acolhido pela mãe dele, Duda. Segundo o sobrinho do casal, João Nicoladelli, o animal não se feriu e ‘está pronto para outra’. “Nós sabemos que poderia ter sido algo mais grave, mas agora ele merece uns minutinhos de fama”, brinca o sobrinho. Duda e Duduco depois do susto com o roedor. João Nicoladelli Capivaras em Tubarão Segundo a assessoria de comunicação da Prefeitura de Tubarão, nos últimos anos as capivaras começaram a aparecer com maior frequência na região. São pacíficas e aparecem próximos de rios e estradas. Por serem animais silvestres, atacam quando se sentem ameaçados ou quando alguém se aproxima dos filhotes. A orientação é que as pessoas não cheguem perto, não tirem fotos e não alimentem esses animais. “Duduco passa bem, pronto pra outra” escreveu João nas redes sociais João Nicoladelli / Redes Sociais Veja mais notícias do estado no G1 SC

  • PMs são presos acusados de se apropriarem de dinheiro e cocaína de suspeitos de tráfico em SC
    on 21 de janeiro de 2020 at 20:07

    Eles foram denunciados pelo MPSC. Em 10 dias, deve ser marcada audiência para ouvir testemunhas de acusação. PMs são presos por ficar com dinheiro e droga de criminosos em Florianópolis Quatro policiais militares estão presos desde o dia 7 de janeiro acusados em um caso de apropriação de dinheiro e cocaína de dois suspeitos de tráfico de drogas em São José, na Grande Florianópolis. De acordo com o processo, dentro de 10 dias deve ser marcada audiência para ouvir testemunhas de acusação. No total, seis policiais foram denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). Todos os réus são soldados. O Comando-Geral da Polícia Militar disse que a investigação foi conduzida pela Corregedoria da Policia Militar e encaminhada à Justiça para apreciação. Agora o assunto está sob responsabilidade da Justiça. Informou ainda que a PM segue acompanhando o trabalho da Promotoria e colaborando quando demandada. Um quinto policial militar chegou a ser preso, mas foi liberado pela Justiça. A denúncia foi aceita pela Vara de Direito Militar de Florianópolis em 7 de janeiro. Crimes Segundo o inquérito policial militar sobre o caso, os policiais cometeram os crimes na madrugada de 20 de março de 2019, por volta da meia-noite, durante uma operação em São José. Nessa ação, os policiais prenderam dois suspeitos de tráfico de drogas com cerca de quatro quilos de cocaína. Em seguida, os agentes de segurança foram até a residência de um dos suspeitos e apreenderam mais drogas e uma arma. Porém, segundo o inquérito, durante a abordagem os policiais também pegaram uma mochila com R$ 130 mil em dinheiro e um quilo de cocaína, que não foram entregues na delegacia. Conforme o MPSC, isso foi feito por dois policiais militares sem farda e com carro sem plotagem da PM. Eles pegaram a mochila ao abordarem o veículo dos suspeitos de tráfico. Outros três policiais de Florianópolis, que estavam de serviço, fizeram a prisão em flagrante dos dois suspeitos de serem traficantes. Os dois policiais que estavam sem farda não estavam de serviço no dia. A dinâmica do crime foi filmada por câmeras de monitoramento, segundo o MPSC. Segundo o processo, os dois policiais que estavam sem farda vão responder por peculato-furto, que é se apropriar de um bem particular em razão do cargo, falsidade ideológica, prevaricação, que é deixar de fazer ato de ofício para obter vantagem pessoal, e falso testemunho. Entre os três que foram até a delegacia, um vai responder por abandono de posto e falsidade ideológica; outro por abandono de posto, falsidade ideológica e falso testemunho; e o terceiro, por esses três crimes e peculato-furto. O sexto policial militar vai responder em liberdade por violação do sigilo funcional. A defesa dele afirmou que o agente não tem nenhuma relação com os fatos narrados na denúncia e vai demonstrar a inocência no decorrer processual. O G1 não havia conseguido contato com os advogados dos demais réus até a publicação desta notícia. Estão presos os dois policiais que estavam sem farda e dois que foram até a delegacia. Veja mais notícias do estado no G1 SC

  • Homem é detido e liberado após pendurar camiseta com suástica em janela de apartamento em SC
    on 21 de janeiro de 2020 at 20:00

    Ele foi autuado por apologia ao nazismo. Caso ocorreu em São José, na Grande Florianópolis. Um homem de 55 anos foi detido e depois liberado por ter pendurado uma camiseta com uma suástica na janela do apartamento onde vive, no bairro Forquilhinhas, em São José, na Grande Florianópolis. O suspeito foi preso em flagrante na noite de domingo (19) por apologia ao nazismo e colocado em liberdade no dia seguinte pela Justiça, após passar por audiência de custódia. A prisão ocorreu depois que uma pessoa que passava na frente do apartamento viu a camiseta com o símbolo nazista e acionou a Polícia Militar. O suspeito foi levado para Central de Plantão Policial (CPP) e, em depoimento, confirmou o crime, informou o delegado Deonir Trindade. “Ele se declarou nazista, disse ser um ‘lobo solitário’, que odeia judeus, que queria deixar o país. Falou frases desconexas”, disse Trindade. Após a prisão, foi autorizada busca e apreensão no apartamento, onde foram recolhidos livros com apologia ao nazismo, dois celulares, um notebook, câmeras fotográficas, uma agenda e mais uma camiseta com uma suástica, entre outros itens. O suspeito passou por audiência de custódia na tarde de segunda-feira (20) e foi solto porque a Justiça entendeu que, por ter emprego e residência fixa, ele poderia responder ao caso em liberdade. Porém, foram determinadas medidas cautelares, como a proibição de deixar a comarca. O homem foi autuado por veicular símbolos ou materiais que utilizem a cruz suástica para fins de divulgação do nazismo. A pena para esse crime, previsto na Lei 7.716/89, é de reclusão de um a três anos e multa. Outros crimes O suspeito responde a uma ação na Justiça Federal por desacato a policiais rodoviários federais. Ele também é investigado num inquérito na Polícia Civil por ameaça, desacato e por perturbação de serviços de utilidades públicas – ele teria ligado em delegacias e ofendido policiais. Veja mais notícias do estado no G1 SC

  • Irmãs reaproveitam materiais escolares para o ano letivo de crianças carentes em Joinville
    on 21 de janeiro de 2020 at 19:27

    Gêmeas recebem doações para montar novos materiais com os antigos. Gêmeas André Lux / NSC TV Duas irmãs gêmeas moradoras do bairro Vila Nova, em Joinville, no Norte catarinense, encontraram uma maneira sustentável para ajudar crianças de famílias carentes que não têm condições de comprar materiais escolares. A ideia de Maria Cristina Rezende da Rosa e Maria Luiza Rezende da Rosa, de 18 anos, surgiu em 2015, quando Maria Cristina começou a reaproveitar cadernos que tinham em casa para usar no ano letivo de 2016. “Comecei fazendo para mim e minha irmã com os materiais que nós tínhamos em casa porque não queria gastar dinheiro com material escolar”, conta. Dois anos depois, em 2018, a jovem percebeu que a ideia teve bons resultados e os materiais foram bem aproveitados. Foi quando resolveu expandir a iniciativa para ajudar as crianças de famílias carentes do bairro. Cadernos são alguns dos itens arrecadados pelas jovens para doação André Lux / Divulgação Em 2019, Maria Cristina fez uma publicação em uma rede social pedindo doações de materiais para fazer o reaproveitamento. Depois da publicação, o número de doações aumentou. “Nós fazemos as doações para famílias carentes que conhecemos aqui do bairro e também para as que estão cadastradas na pastoral da igreja do bairro, a Comunidade Nossa Senhora do Monte Claro. Ano passado fizemos doações para a Paróquia Nossa Senhora Medianeira também”, diz a jovem. As irmãs passam cerca de três a quatro horas por dia fazendo o reaproveitamento dos materiais, que envolve a colagem e montagem dos materiais que recebem e percebem que tem como ser reutilizado sem nenhum problema. Depois de fazerem os trabalhos de recuperação dos itens recebidos, as meninas montam em um kit com lápis, cadernos, borrachas, réguas, pastas para guardar folhas e estojo. “Nós doamos recentemente materiais para um lar de crianças e a reação delas foi de pura alegria”, diz Maria Cristina. As doações para as jovens podem ser feitas na casa delas, que fica na rua Amandus Jacob, número 346, no bairro Vila Nova. Veja mais notícias do estado no G1 SC

  • Recém-nascida é abandonada em maternidade de Joinville
    on 21 de janeiro de 2020 at 18:27

    Mulher deixou menina com enfermeira para atendimento na noite de segunda-feira e saiu de unidade de saúde no Norte de SC sem passar informações. Polícia investiga o caso. Recém-nascida é abandonada em maternidade de Joinville Uma bebê recém-nascida foi abandonada na Maternidade Darcy Vargas em Joinville, no Norte catarinense, na noite de segunda-feira (20). A Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) registou o caso como abandono de incapaz e até as 15h desta terça-feira (21) procurava identificar algum suspeito. A menina está bem. “Uma mulher pediu para um rapaz chamar a enfermeira. A enfermeira foi até o estacionamento, até o carro e pegou o bebê pois achou que estava passando mal, algum atendimento de emergência, e achou que a moça fosse estacionar e retornar, e não retornou. Estamos tentando identificar também este rapaz. Estamos atrás disso”, detalha a delegada Debora Mariani Jardim. Segundo ela, a câmera da maternidade é interna e não flagrou quando o carro chegou. Por isso, a polícia procurava analisar imagens de estabelecimentos próximos da maternidade. Polícia investiga abandono de bebê em maternidade de Joinville, Norte de SC NSC TV/Reprodução “A menina está saudável e segue na maternidade. Estamos empenhado em individualizar algum suspeito, analisando imagens de câmeras da redondeza, meus agentes estão procurando registros nos hospitais da região para saber se pode ser alguém que teve o parto em casa, em alguma unidade”, informou Jardim. Na manhã desta terça-feira a delegada ouviu alguns funcionários do hospital e ao longo da tarde deve realizar mais oitivas. O Conselho Tutelar da cidade também foi acionado. Por enquanto, não há informações se a menina será levada para algum abrigo ou encaminhada para adoção. A Secretaria de Estado da Saúde não passou informações sobre o estado de saúde, nem se ela precisará ficar por mais dias internada. Veja outras notícias do estado no G1 SC

  • VÍDEOS: Jornal do Almoço desta terça-feira, 21 de janeiro
    on 21 de janeiro de 2020 at 16:08

    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de Santa Catarina. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias de Santa Catarina.