O acidente ocorreu por volta das 17h30 deste domingo, 07, e deixou mais uma pessoa morta nas rodovias da região, na BR-282, na saída de Chapecó. Foi uma colisão frontal envolvendo um Fusion, placas de São Miguel do Oeste, e um Picanto de Chapecó. O Fusion tinha três ocupantes, sendo o condutor, a esposa e uma criança, residentes em Maravilha. A mulher e a criança se feriram e foram atendidas no local pelos socorristas. No automóvel de Chapecó havia apenas um ocupante, o motorista Cristiano Martini, de 37 anos, que morreu no local do acidente. O motorista de Maravilha conversou com o Portal Peperi e contou que o carro dirigido pelo homem que morreu invadiu a pista contrária sem motivos aparentes, não sendo possível evitar a batida de frente. A Polícia Rodoviária Federal foi chamada para atender a ocorrência e o IGP para remoção do corpo da vítima. Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó Motorista morre em colisão frontal na BR-282 em Chapecó

Cerca de 180 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra retiradas de um acampamento em Faxinal dos Guedes, no Oeste catarinense, durante uma reintegração posse em 29 de novembro começaram a deixar o ginásio municipal da cidade.

A mudança, no entanto, é uma situação provisória, já que o grupo está indo por conta própria para uma nova área no interior do município, cedida por um pequeno agricultor.

“Desde quarta-feira, 03, eles estão em processo de saída do ginásio. Algumas famílias foram e outras ficaram no ginásio, tem recém-nascido”, explica o padre Edivandro Luiz Frare, da Diocese de Chapecó, que acompanha a situação das famílias. Entre as famílias há cerca de 100 crianças, 78 delas em idade escolar.

Segundo o religioso, a Justiça teria determinado a transferência do grupo para uma área em Matos Costa, que fica a cerca de 200 quilômetros de Faxinal dos Guedes. “A impressão que dá é que a Justiça não está buscando uma solução e sim os mandado para longe. Ninguém determina onde as pessoas devem morar”, reclama o padre.

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – Incra informou que a área foi indicada pelo próprio Instituto e faz parte “de um projeto de Assentamento Federal. Mas eles recusaram a fazer esse deslocamento”, informou o Incra em nota.

Fonte: G1/SC

Adicionar aos favoritos o Link permanente.