Defesa Civil contabiliza estragos em 21 cidades por conta da chuva em SC

Até o fim da noite desta quinta-feira a Defesa Civil do Estado já contabilizava estragos causados pelas chuvas em pelo menos 21 cidades. Só em Florianópolis, um dos municípios mais atingidos pelo temporal que se intensificou na madrugada desta quinta-feira, o número de desalojados já somava 1.230 e o de desabrigados era de 150. Ao todo, três abrigos já foram ativados no município, nos bairros Saco Grande, Centro e Rio Tavares, e ao menos seis pontos de coleta de doações também foram abertos.

Conforme a Defesa Civil estadual, até as 16h desta quinta-feira, o número de pessoas afetadas em Santa Catarina já era de 3,7 mil e o de casas danificadas, 937. Um novo relatório com números atualizados deve ser divulgado na sexta-feira. Até o momento, já foram contabilizados uma morte, um ferido e dois desaparecimentos. Em Florianópolis, a morte de um homem que sofreu um infarto enquanto limpava um boeiro não está sendo contabilizada nos dados referente aos danos das chuvas.

Ainda de acordo com o relatório da Defesa Civil, as ocorrências varia entre alagamentos, deslizamentos e chuvas intensas. As cidades que registraram alguma ocorrência até o momento é: Lauro Muller, Imbituba, Florianópolis, Braço do Norte, São José, São João Batista, Biguaçu, São Francisco do Sul, Penha, Itapema, Balneário Camboriú, Itajaí, Bombinhas, Navegantes, Taió, Camboriú, Porto Belo, Governador Celso Ramos, Tijucas, Palhoça e Canoinhas.

Situação em Florianópolis
Florianópolis registrou 400mm de chuva desde a segunda-feira — o maior volume no Estado. As principais rodovias estaduais que dão acesso ao norte, sul e leste da Ilha sofreram interdições por causa dos alagamentos. Polícia Militar Rodoviária, Defesa Civil, Bombeiros e Município atuam para amenizar os problemas de mobilidade. O transporte coletivo da cidade também foi afetado e funciona com 40% da capacidade. Além disso, o município está solicitando cancelamento dos eventos programados para esta quinta.

No final da manhã desta quinta-feira foi confirmada a morte de homem no bairro Itacorubi. Valcioni Luiz da Silva, de 59 anos, ajudava a desentupir um bueiro quando teve um infarto, caiu, bateu de cabeça e foi arrastado pela enxurrada durante a manhã. No entanto, conforme a Defesa Civil municipal, em Florianópolis, a morte não será contabilizada no relatório de ocorrências das chuvas. Foi a própria família que informou que Silva faleceu por conta do infarto. Além disso, uma outra pessoa está desaparecida no Morro do Quilombo.

Quem precisa de abrigo pode procurar os dois espaços disponíveis pela Prefeitura — a Escola Donícia Maria da Costa, no bairro Saco Grande, e a Passarela Nego Quirido, no Centro. Já os pedidos de ajuda devem ser direcionados para a Defesa Civil (199), os Bombeiros (193) ou a Polícia Militar (190).

Situação por região
Grande Florianópolis
Há diversos registros de alagamentos e deslizamentos pela cidade. No bairro Itacorubi, um prédio foi inundado e os carros que estavam no estacionamento ficaram encobertos após um rio transbordar. No sul da Ilha, moradores tiveram suas casas alagadas e contabilizam prejuízos em bairros como Rio Tavares e Campeche. No Ratones, norte da Ilha, uma ponte caiu e moradores ficaram ilhados.

O transporte público também foi afetado: na largada do dia, quando os primeiros ônibus saem das garagens entre 4h30min e 6h, a frota ficou desfalcada em 15%, de acordo com o coordenador técnico do Consórcio Fênix, Rodolfo Guidi.

— Percebemos também que a demanda foi bastante reduzida, a população atendeu a recomendação das autoridades e ficou em casa, muitas empresas também respeitaram — disse.

Durante o dia, a empresa operou com 40% da capacidade por causa das interrupções em vias que prejudicaram algumas linhas. Para quinta-feira, a operação dependerá da condição do tempo na madrugada e da situação das vias.

Na SC-401, Na rodovia SC-401 sentido norte da Ilha, na altura do número 3.700, o asfalto do acostamento da pista cedeu e deu lugar a uma imensa cratera. Por hora, apenas o acostamento precisou ser interditado. Deinfra já trabalha no local.

No continente, há registro de dois deslizamentos em Biguaçu. Enquanto em São José aconteceram 40 deslizamentos de terra.

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, decretou situação de emergência. Também disse que vai tentar buscar recursos com a União para os reparos imediatos.

Vale do Itajaí
A cidade mais afetada foi Penha, no Litoral Norte, onde 200 pessoas ficaram desalojadas, ou seja, tiveram que sair de suas casas e se instalar em vizinhos, amigos ou parentes.

Em Camboriú (foto acima), Itajaí, Porto Belo e Balneário Camboriú, bombeiros e Defesa Civil registraram problemas principalmente com alagamentos em vias e residências. Os casos mais graves envolveram deslizamentos de terra e o desaparecimento de uma pessoa. Leia mais sobre a situação na região.

Região Norte
Em São Francisco do Sul a chuva causou alagamentos, deslizamentos e quedas de árvores e muro. Segundo a Defesa Civil, foram registrados 146 milímetros de chuva em 12 horas. O número representa a média mensal prevista para São Francisco do Sul.

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE

Adicionar aos favoritos o Link permanente.