Programa Vozes do Corpo da Fundação Aury Luiz Bodanese tem matrículas abertas

O Programa Vozes do Corpo da Fundação Aury Luiz Bodanese (FALB) está com matrículas abertas para as aulas de dança. As vagas são disponíveis para crianças a partir de seis anos até jovens de 18 anos. Os interessados podem se inscrever até o dia 28 de fevereiro por meio do telefone (49) 3321-3235 ou pelo e-mailgrupovozesdocorpo@falb.org.br.

O Vozes do Corpo busca proporcionar, através do movimento, a vivência da linguagem corporal e musical, agregando elementos da arte e da educação. Entre as atividades desenvolvidas pelo programa está a participação em festivais, apresentações em eventos e a Mostra Cultural da FALB realizada ao fim de cada ano para demonstrar o trabalho realizado pelos alunos.

 A presidente da Fundação Aury Luiz Bodanese Isabel Cristina Machado cita a importância do programa“Muito mais do que oportunizar o conhecimento sobre a dança e a linguagem corporal, o Vozes do Corpo envolve os alunos fazendo com que eles desenvolvam responsabilidades e disciplina, o que contribui também para as demais atividades do dia a dia”, complementa.

De acordo com a coordenadora do programa e coreógrafa Patrícia de Lara a dança serve como estímulo para a saúde tanto física quanto psicológica dos dançarinos e auxilia na desenvoltura, perda de timidez e amadurecimento. “É nítida a mudança de comportamento dos alunos quando iniciam e após um ano de aulas de dança. É envolvente trabalhar com a linguagem corporal”, afirma.

Além de Patrícia, o coreógrafo Daniel Somensi Berrido também faz parte da equipe do programa que conta com aulas de danças urbanas, de segunda a sexta-feira, nos ginásios da Cooperativa Central Aurora Alimentos do bairro Efapi e da Matriz.

A adolescente Julia Dalazen dos Santos, de 15 anos, participa do grupo há quatro anos e, segundo ela, foi um período de muita dedicação, energia e confiança. “Agradeço à Fundação Aury Luiz Bodanese e ao Grupo Vozes do Corpo pois mudaram muito a minha vida não apenas o corpo físico, mas também o espiritual. Em cada aula aprendemos algo novo e especial. Conheci pessoas incríveis com pensamento e jeitos diferentes, mas sempre unidos por uma razão: a dança”. 

Jornalismo Rádio Efapi com informações da MB Comunicação.